Psicologia - Genética

Clonagem

 

Clonagem

Ao contrário da divisão ao acaso dos cromossomas na Meiose e do crossing-over, processos que visam aumentar a variabilidade genética, a clonagem visa produzir seres iguais àquele que lhes deu origem. A clonagem poderá num futuro, que muitos pensam próximo, ajudar a curar doenças, hoje incuráveis. Isto porque a clonagem, ao permitir produzir embriões humanos com uma estrutura genética igual à da pessoa que fornece o núcleo do ovo produzido de forma artificial, possibilita a criação de células estaminais, capazes de reparar os órgãos do dador, sem o risco de rejeição. As células estaminais são células que se podem transformar numa célula qualquer do nosso corpo. Nas fases iniciais do desenvolvimento humano, as células estaminais do embrião dão origem a todas as células do nosso organismo: coração, sistema nervoso, pele, etc.

Como se processa a clonagem?

O primeiro mamífero foi clonado em 1996 pelo escocês Ian Wilmut. Uma ovelha a quem foi dado o nome de Dolly. Retirou-se uma célula de uma glândula mamária de uma ovelha da raça Finn Dorset, simultaneamente foi retirado um óvulo a uma outra ovelha da raça Scottish Blackface. Deste óvulo não fertilizado foi retirado o núcleo. De seguida foi unido o núcleo da célula da ovelha Finn Dorset com o óvulo sem núcleo da ovelha da raça Scottish Blackface. Depois ocorreu o desenvolvimento normal do feto através de divisões mitóticas sucessivas.

 

....

Clonagem de macacos

No dia 14 de Novembro, cientistas americanos anunciaram que clonaram embriões a partir de células da pele de um macaco de 9 anos. Esta técnica, pensa-se, poderá um dia vir a ser aplicada aos seres humanos para o tratamento de determinadas doenças.

Os cientistas combinaram ADN de células da pele de um macaco com um óvulo não fertilizado do qual foi removido o seu ADN. Dos embriões resultantes foram retiradas células estaminais. Para obterem dois embriões foram necessárias 304 óvulos retirados de 14 macacas.

O entusiasmo dos cientistas ficou-se a dever ao facto de ter sido a primeira vez que se conseguiu clonar um animal tão próximo do homem geneticamente, o que abre perspectivas à clonagem humana para fins terapêuticos através do uso de células estaminais que, tendo sido obtidos por clonagem, afastariam o risco de rejeição.

Vídeo da Reuters sobre a notícia